Como e no quê se define “Vintage” no mundo automobilístico.

  maxresdefault
O Ser Humano é de modas, tendências, acima de tudo mudanças, que ocorrem constantemente.
Quem não se lembra das calças à “boca de sino” que voltaram das penumbras ( apenas brevemente) há uns tempos atrás?
A realidade no mundo automóvel é semelhante a todos os objectos de culto ou modas, pelo que no século XXI, ter algo reconhecidamente popular, “cool”, com ar de “retro” e em bom estado é considerado “vintage”.
Desde acessórios a automóveis em escala real, tudo pode ser conotado, e o racional desta “trend” depende de quão emocional o objecto é.
A questão baseia-se no que é que nós, amantes de automóveis, consideramos Vintage.
Vasculhando um pouco sobre o assunto, em resumo conclui-se que  o termo vintage muitas vezes diz respeito a um objeto que tem pelo menos 20 anos de idade.
Muitas pessoas não consideram objetos dos anos 80 e 90 como vintage, mas parece que a idade mínima para que tenha esse estatuto seja 20 anos. Artigos dos anos 80 e 90 podem também ser classificados como “novo vintage” enquanto que artigos com pelo menos 50 anos são categorizados como “verdadeiro vintage”.

 florent-marvier-28

Existem contudo dúvidas a respeito das diferenças entre os conceitos de vintage e “retro”. O conceito “retro” (com origem na palavra francesa rétrospectif) se refere a um artigo que está fora do estilo predominante na atualidade, embora com considerações.

Vintage é uma palavra anglo-francesa usada pelos enólogos para designar um ano de boa colheita de uvas, em que as condições climáticas e outros fatores favoreceram a produção de um vinho com qualidade diferenciada.

Agora, como definimos, quantificamos, percepcionamos o que é Vintage ou não? Por exemplo, todos consideramos um carro Vintage, um carro clássico. Um mini, carocha, Alfa Romeo GTV serão certamente.
petrolicious-alfa-romeo-gta-3000
Avançando uns passos no tempo, um BMW M3 E30, Delta Integrale (claramente “elegiveis” como clássicos) são Vintage? E mantendo na mesma época, e considerando igual estado de conservação, um Alfa Romeo Sprint Veloce, um Peugeot 205 ou um Nissan Bluebird?
dsc_5945
E Relativamente á sua conservação? Usado? Original? Alterado? Em estado de concurso?
Mais que respostas, é notório, que tal como as modas, depende de quem as adopta. Estou certo que alguém que possua um carro com mais de 20 anos, em bom estado de conservação e que mantenha as alterações dentro do “admissivel” na época de produção, considerará o seu carro vintage.
Para nós, não pensando na “área cinzenta” entre o “preto” e o “branco”, baseia-se em 4 pressupostos:
– Mais de 20 anos;
– Muito bom estado;
– Edições limitadas/Edições de valor acrescentado;
– Sem alterações / alterações de época.
E30desktop1440x900
Tudo o que esteja deste enquadramento, é no minimo, admissivel a concurso. Qual é a vossa opinião?

 

You may also like...

Leave a Reply